Departamento jurídico: imagem de uma reunião de negócios. Um grupo de pessoas está em volta de uma mesa quadrada, sobre a qual tem notebooks, cadernos, smartphones e itens de papelaria

Departamento jurídico: a importância de um gestor e seu papel

O departamento jurídico tem, como os demais setores empresariais, a função de gerar resultados eficientes para a organização. Seu papel deve estar integrado à estratégia de negócio, indo muito além da execução de demandas pontuais.

Entretanto, é comum que o potencial do departamento jurídico seja subutilizado, sobretudo, quando exerce uma função reativa. Ou seja, só é chamado para agir quando solicitado, como a tramitação de processos ou confecção de contratos.

Um setor proativo busca o alinhamento estratégico do setor com os objetivos delineados pela organização. Para isso, um gestor jurídico é fundamental. É ele quem vai traçar oportunidades que, muitas vezes, passam despercebidas.

Confira, neste post, qual é o papel e a importância desse líder cada vez mais necessário às empresas!

O que um gestor pode fazer pelo departamento jurídico da sua empresa?

O gestor jurídico é uma figura que ganha cada vez mais destaque no meio corporativo. O departamento jurídico simplesmente operacional vem ficando no passado. Nesse contexto, empreendedores com visão sistêmica sabem que cada área de negócios abre um leque de oportunidades.

As áreas de uma organização precisam ser observadas como subsistemas com estrutura própria e capacidade de geração de resultados. Por que com o departamento jurídico seria diferente?

Toda a capacidade de entrega desse setor está centrada no gestor. Esse é o novo perfil do profissional de Direito, que tem complementado sua formação com especializações em gestão e administração. O objetivo é atender à demanda crescente das companhias que já perceberam um potencial ainda relegado pela maior parte das empresas.

Mas, afinal, o que um gestor jurídico pode fazer pela sua organização? Para esclarecer essa dúvida, confira algumas vantagens!

Alinhar estratégias de negócios

O departamento jurídico é parte integrante das estratégias de negócios. Ou seja, precisa trabalhar com foco nos objetivos traçados para a empresa, mas pode — e deve — ir além.

Um gestor da área precisa ter conhecimento técnico jurídico, mas é imprescindível que possua um olhar voltado para negócios. Esse é o profissional capacitado a identificar oportunidades e a indicar como as estratégias da empresa podem ser alcançadas.

Por exemplo, cabe a ele orientar sobre como melhorar a eficiência tributária, buscando recuperação de impostos ou enquadramentos mais vantajosos para a organização.

Mapear riscos empresariais

Uma das principais atribuições do departamento jurídico, em qualquer empresa, é a verificação de potenciais riscos ao negócio. Essa é uma função que deve ser feita de forma preventiva, evitando, assim, litígios futuros.

Um gestor jurídico deve coordenar procedimentos de mapeamento de riscos empresariais, contando com o apoio de sua equipe. Esse é um trabalho que está restrito às particularidades de cada modelo de negócios.

Uma empresa jornalística deve ter maior parte dos riscos atrelados ao direito de imagem e propriedade intelectual. Uma indústria pode estar mais comprometida com a questão de registros e patentes. A prestação de serviços tende a ser mais prejudicada com demandas relativas ao direito do consumidor. E assim por diante.

Com base nas características da empresa, o gestor deve ser capaz de apurar todos os riscos envolvidos nas operações da companhia, devendo oferecer soluções para minimizar tais riscos, como treinamentos para os colaboradores ou o estabelecimento de um processo de verificação jurídica antes do lançamento de um novo produto.

Definir e acompanhar as operações do setor

A estrutura de trabalho do departamento jurídico deve ser elaborada pelo gestor da área. O organograma e o fluxograma das operações precisa levar em consideração as tarefas a serem executadas pelo setor. Independentemente de quais sejam elas, o objetivo a ser buscado pelo executivo jurídico é a eficiência.

Isso quer dizer que é necessário verificar quais são as atividades e as etapas para cada uma das atribuições. Quando for possível, os processos de execução das tarefas devem ser encurtados. Um exemplo é a adoção de ferramentas de automação.

Inspirar a equipe

O bom líder é aquele que tem a capacidade de motivar seus colaboradores. Afinal de contas, ele sabe que seu sucesso depende disso. O gestor jurídico, além do conhecimento técnico e do direcionamento para os negócios, precisa ser carismático.

Mensurar resultados do departamento jurídico

O departamento jurídico também tem indicadores a serem avaliados. São métricas variadas que indicam a produtividade, rentabilidade, custos, entre outros fatores. Acompanhar esses resultados é o ponto de partida para melhorar os processos. A partir da identificação da estrutura de gastos do setor, por exemplo, é possível estabelecer metas de redução dos custos.

Delegar funções

Os profissionais devem atuar nas atividades em que têm mais afinidade. Isso vale para qualquer setor da empresa. No caso do departamento jurídico, o gestor precisa buscar essa adequação. Esse cuidado garante não só a satisfação dos colaboradores como aprimora os resultados.

Delegar funções, portanto, depende de uma análise cuidadosa sobre o potencial de cada um da equipe.

Estruturar a gestão de processos e documentos

Uma das principais demandas do departamento jurídico é fazer a gestão de documentos e processos. Essas são atividades que podem ser excessivamente operacionais, dependendo de como as tarefas são executadas.

É papel do gestor jurídico identificar a melhor forma de realizar essa função com agilidade e eficiência. As informações não podem ser perdidas, mas, ao mesmo tempo, não se pode restringir a atuação do setor a essas atividades.

Um executivo com autonomia consegue identificar como reduzir o tempo gasto com acompanhamento de tramitação de processos e controle de documentos. Ele também deve propor soluções, nesse sentido, como a adoção de softwares de gestão de documentos.

Integrar o departamento jurídico ao restante da empresa

O departamento jurídico que atua de forma estratégia precisa estar integrado à empresa como um todo. Esse preceito garante que o gestor da área consiga ter uma visão global dos negócios e identificar riscos e oportunidades.

Essa integração é fundamental, também, para facilitar a comunicação do setor jurídico com outras áreas, viabilizando, assim, a preparação de todos os colaboradores na prevenção de riscos.

Gerenciar o capital humano do setor

O executivo jurídico precisa conhecer bem quem são os profissionais, quais atividades eles desempenham e as demandas que esperam ser atendidas. Gerenciar os recursos humanos da área é determinante para garantir um ambiente profissional harmonioso e o atingimento dos resultados projetados.

Aprimorar a atuação do departamento jurídico

Ao final, todos os esforços do gestor jurídico serão refletidos na melhor atuação do setor. Uma gestão estratégica e proativa promove melhores práticas profissionais, estabelece metas e acompanha métricas e resultados. Esse ciclo virtuoso se retroalimenta, já que cada oportunidade de melhoria deve ser aproveitada.

Quer ficar por dentro de todos os assuntos sobre departamento jurídico? Então, siga e acompanhe nossas postagens no FacebookInstagram e LinkedIn!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *