CPR: imagem aérea que mostra terras de plantações e máquinas operando

CPR: conheça os tipos deste título de crédito

São diversos os documentos e títulos de crédito do Agronegócio. Além da LCA, CDCA e CDA/WA, a CPR é um dos que mais despertam dúvidas.

A Cédula de Produto Rural é um título de crédito embasado em uma garantia real, que pode ser penhor rural ou mercantil. Desta maneira, o produtor, a Associação ou Cooperativa de Crédito emite um título para comercializar os produtos e recebe o valor antecipadamente.

A CPR pode ser negociada tanto no mercado primário quanto no secundário. O primeiro caso se dá quando o emitente quer adiantar recursos. Já a segunda situação acontece quando o adquirente deseja realizar as negociações por meio de outro agente interessado.

O registro da CPR por alguma entidade autorizada pelo Banco Central do Brasil é obrigatório. Isso garante a existência e a veracidade das informações e características do título. Esta também é uma forma de emitir a Cédula de Produto Rural com garantia (risco de crédito é do garantidor) ou sem garantia (risco de crédito é do penhor da safra).

Tipos de CPR

Mais do que entender o que e para que serve a CPR, também é importante conhecer os tipos deste título de crédito. Assim, é possível entender qual dele faz mais sentido para produtores rurais ou fornecedores de crédito.

Existem dois tipos de CPR, a Financeira e a Física. O objetivo de ambas é ser um instrumento de captação de recursos financeiros ou insumos para o produtor rural. Com isso, é possível utilizar créditos ou insumos recebidos para a auxiliar na sua produção e fixar um prazo de entrega de parte da produção, conforme combinado.

CPR Física

Este modelo de Cédula de Produto Rural se dá quando o emitente e o comprador possuem interesse no resgate da mercadoria. Ela funciona de maneira que o emitente vende o produto antecipadamente e recebe o valor no momento da formalização da CPR. O produto é entregue na data da fatura.

CPR Financeira

Enquanto isso, este modelo de Cédula de Produto Rural funciona da mesma maneira que o anterior. A principal diferença é que o resgate acontece em valor financeiro. Desta forma, o título é utilizado pelo produtor que deseja ter um lastro para financiamento e, ainda assim, utilizar sua mercadoria para comercializar.

A CPR, neste caso, se torna uma indexadora para estipular o valor do resgate do título na data de vencimento acordada. Além disso, ela também possibilita que outros agentes participem do financiamento, sejam eles econômicos, investidores externos, fundos de investimentos e de pensão.

Afinal, quais são as vantagens deste título de crédito?

Este título de crédito oferece muitos benefícios, tanto para o investidor quanto o emissor. O investidor, ao adquirir uma CPR pode aproveitar a Isenção de Imposto de Renda e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Já o emissor tem garantido o favorecimento do custeio da produção e comercialização de produtos agropecuários, venda antecipada de parte da produção e a possibilidade de negociar a safra agrícola sem dívidas referenciadas em taxa de juros.

Gostou do nosso artigo? Encontre mais informações sobre CPR, Crédito AgrícolaAgronegócio e muito mais aqui em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *