Política de Cookies

Written by 16:19 Agronegócio, Notícias

PIB brasileiro do agronegócio cresce 3,81% em 2019

O levantamento do CNA conta o agronegócio como um todo, incluindo as agroindústrias (como frigoríficos) e o setor de serviços (como transporte de mercadoria).

PIB brasileiro do agronegócio cresce 3,81% em 2019
Gráfico do crescimento do PIB do Agronegócio

Segundo levantamento da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com a Escola de Estudos Agrários da USP (Esalq), o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio no Brasil, cresceu 3,81% no ano de 2019.

Diferente do PIB agropecuário divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que avalia somente o que é produzido dentro da fazenda, o levantamento do CNA conta o agronegócio como um todo, incluindo as agroindústrias (como frigoríficos) e o setor de serviços (como transporte de mercadoria).

Segundo o instituto, o setor representa 21,4% do PIB total do país. Em nota, o CNA afirma que: “É uma alta importante após dois anos sucessivos de resultados pouco favoráveis ao setor, que vinha sofrendo com preços relativos cada vez menores”.

Segmentos do agronegócio

Diagrama de crescimento dos segmentos do agronegócio

Olhando especificamente para os segmentos, a pecuária foi o principal ramo com alta de 23,71%, insumos (5,54%), agroindústria (4,99%) e agrosserviços (6,77%) também tiveram crescimento.

“Embora, em geral, a demanda interna não tenha atendido às expectativas dos agentes de mercado, tendo ficado enfraquecida em grande parte do ano, o bom desempenho das exportações de carnes foi um dos principais fatores a assegurar o excelente resultado do PIB do ramo”, segundo o centro.

A Peste Suína Africana (PSA), que atingiu os países asiáticos, resultou em um forte aumento na demanda mundial pelas carnes, elevando os preços das proteínas animais. Com isso, os empresários ampliaram a produção e a venda para o exterior a preços mais altos.

Além da pecuária, um importante aumento na exportação de milho, algodão, café, frutas e etanol foi decisivo para o crescimento do setor.

Já o ramo agrícola isoladamente, teve um recuou de 3,46%. Segundo o Cepea: “a queda de 13,95% no PIB do segmento primário agrícola, que, por sua vez, foi influenciado pela combinação entre o crescimento do custo de produção e a redução de preços de produtos importantes, como algodão, café, mandioca e soja”.

Para saber muito mais sobre o agronegócio e as operações que envolvem documentos, assine a nossa newsletter e receba tudo por e-mail.

Visited 208 times, 1 visit(s) today