ISO:9001:2015: O que é, requisitos e estrutura da Norma

04/12/2020
Leitura em: 11 minutos
Categorias:

O que é a ISO 9001?

A sigla ISO remete à International Organization for Standardization que, em português, significa Organização Internacional para Padronização. Como o próprio nome diz, a ISO é  uma organização não governamental composta por organismos de normalização, que tem por finalidade estabelecer normas com o objetivo de colaborar com gestores a garantir a qualidade dos processos, agilidade na produção e, consequentemente, a satisfação dos clientes.

A norma mais conhecida da organização é a ISO 9001, adotada por empresas do mundo inteiro para certificar o Sistema de Gestão de Qualidade, bem como definir requisitos e ferramentas de padronização para estabelecer um sistema capaz de seguir determinado padrão.

Empresas de qualquer porte podem aplicar a norma ISO 9001, desde que siga os padrões exigidos e tenha atenção às atualizações de suas versões. A última edição é a 9001:2015, cuja tradução foi publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT.

Para que serve a ISO 9001?

A ISO 9001 é um instrumento para ajudar a encontrar e corrigir procedimentos ineficazes, com o foco na constante otimização de processos, de forma a alcançar as metas estabelecidas dentro da organização.

Entre os benefícios que a ISO é capaz de aportar a uma empresa, estão:

  • Contextualizar o momento atual da empresa;
  • Obter uma visão abrangente através de uma abordagem de processos;
  • Identificar riscos e corrigi-los;
  • Medir e avaliar a eficácia do processo atual, assegurando a melhoria contínua;
  • Monitorar a satisfação dos clientes constantemente. 

Quais os requisitos da ISO 9001?

Os requisitos da ISO 9001 podem ser aplicáveis em todo o decorrer do modelo de negócios de uma empresa, já que a metodologia da ISO 9001:2015 se dá por meio do ciclo Plan-Do-Check-Act, PDCA, que, em português, significa Plano-Fazer-Verificar-Agir. Ou seja, o planejamento de processos, produtos, serviços, relacionamento com o cliente e a sinergia e interação durante todo o ciclo, sempre com a mentalidade de evitar riscos. 

Desta forma, a ISO atende a cinco requisitos principais:

  • Planejamento das atividades chaves;
  • Definição de estratégias e metas; 
  • Execução dos planos de ação;
  • Relacionamento com colaboradores, fornecedores e clientes.

Sendo assim, até mesmo a cultura empresarial pode ser documentada e incluída entre os requisitos da norma.

Estrutura da ISO 9001:2015

A norma ISO 9001:2015 é estruturada em 10 cláusulas principais:

  1. Âmbito: faz referência às metas e resultados, de acordo com as especificidades da indústria determinada e o contexto da organização.
  2. Referências Normativas: menciona publicações pertinentes que possam servir para orientar a empresa.
  3. Termos e definições: explica os detalhes de termos e define a aplicação de determinada norma, de forma a facilitar o entendimento.
  4. Contexto: esta cláusula é composta por quatro subcláusulas:

4.1. Compreender a organização e o contexto em que está inserida;

4.2. Compreender necessidades e expectativas de todos os stakeholders e partes interessadas: colaboradores, fornecedores, proprietários e clientes.

4.3. Determinar a atuação e o âmbito do Sistema de Gestão da Qualidade.

4.4. Observar e otimizar o Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos.

  1. Liderança: Esta cláusula tem por finalidade definir uma gestão de topo e está constituída por três subcláusulas. 

5.1. Liderança e compromisso: A gestão deixa de ter apenas um representante e passa a ser chamada de gestão de topo, com o objetivo de comunicar sua importância, ampliar a conscientização e o envolvimento de todos os colaboradores.

5.2. Política: Maior foco na satisfação e no relacionamento com os clientes, identificar e evitar riscos, oportunidades, analisar forças, fraquezas e impactos nas organizações. 

5.3. Autoridades organizacionais, funções e responsabilidades: Alinhamento da política de qualidade e metas estratégicas que integrem os requisitos do sistema de gestão.

  1. Planejamento: Na busca pelas melhorias da gestão, a cláusula seis personaliza o pensamento de risco por meio de três subcláusulas:

6.1. Ações para tratar riscos e oportunidades: Com os riscos e oportunidades identificados, o próximo passo é definir como a gestão tratará cada um destes itens, na busca de mais eficácia, já que elimina necessidades de ações corretivas. 

6.2. Objetivos da qualidade e planejamento para atingi-los: É importante destacar que estes objetivos devem ser comunicados aos colaboradores e alinhados com as políticas de gestão. Da mesma forma, devem ser mensuráveis e monitorizados constantemente.

6.3. Planejamento das alterações: Planejar as devidas alterações, comunicando à equipe e alinhando com os processos de “risk thinking” (pensamento de risco).

  1. Suporte: Remete ao suporte que atuará em conjunto com a busca por atingir as metas planejadas, composta por cinco subcláusulas:

7.1. Recursos: Gestão dos recursos para o atendimento da norma e das mudanças a ela inerentes.

7.2. Competências: Posicionar cada colaborador a atuar de acordo com a sua competência.

7.3. Conscientização: Definir que todos estejam de acordo e cientes com as necessidades de mudanças e as políticas demandadas pela norma.

7.4. Comunicação: Comunicar sempre planejamento, metas e resultados.

7.5. Informação documentada: Monitorar, atualizar e manter de acordo cada registro, informação e documentação, de forma que os dados estejam seguros.

  1. Operacionalização: Refere-se à gestão dos processos externos e internos, mudança planejada e dos critérios para controlá-los. Está dividida em sete subcláusulas:

8.1. Planejamento e controle operacional;

8.2. Requisitos para serviços e produtos;

8.3. Design e seguimento de produtos e serviços;

8.4. Controle de processos, serviços de fornecedores externos e produtos;

8.5. Prestação de serviços e produção;

8.6. Liberação de produtos e serviços;

8.7. Controle de saídas.

  1. Avaliação do Desempenho: Composta por três subcláusulas, visa ajudar as empresas a avaliarem o que, como e quando deve avaliar, medir, monitorar e analisar, como uma auditoria interna apta a assegurar que a gestão atenda aos requisitos da organização.

9.1. Monitorar, medir, analisar e avaliar;

9.2. Auditoria interna;

9.3. Revisão realizada pela gestão.

  1. Melhoria: Como deve ser a busca pelas ações corretivas com situações que estejam fora das conformidades da empresa:

10.1. Generalidades;

10.2. Não conformidade com a ação corretiva;

10.3. Melhoria contínua.

Conheça a startup Docket, da área de gestão de documentos, que simplifica a burocracia para implementação da Norma ISO 9001:2015

Entre os principais pontos para atender à ISO 9001:2015, vale destacar o parágrafo 7.5 da sétima cláusula, que faz referência às documentações e registros da organização, de forma que a informação documentada torna-se um dos requisitos fundamentais da norma.

Leia também: Diferença entre documentos e registros – Norma ISO 9001:2015

LGPD na Prática - Evite autuações e multas e adeque sua empresa a Lei Geral de Proteção de Dados

Mas o que é Informação Documentada ISO 9001?

Há muitos critérios que podem estabelecer o que é uma informação documentada: envolve desde os registros às principais documentações e, até mesmo, os requisitos da própria norma. 

É importante que o Sistema de Gestão da Qualidade mantenha o controle de informação documentada, de forma a garantir a eficácia e a segurança dos processos.

O procedimento de informação documentada é fundamental para colaborar nos casos de auditorias, facilitar a forma com que a informação é encontrada bem como manter as próprias ações da organização.

Leia também: Requisito 7.5 e Informação Documentada

Há várias formas de manter a informação documentada, no entanto, esse ainda é um tema que gera muitas dificuldades no sistema de gestão, especialmente em empresas de grande porte.

Muitas vezes, processos manuais, falta de centralização e controle de informações por meio de planilhas dificultam a gestão e a visibilidade de dados, o que pode acarretar em perda de informação, além de inúmeros prejuízos e desperdício de recursos como o tempo e o potencial da equipe, que deixa de focar nas prioridades da empresa enquanto busca por determinado documento ou registro, sem contar com os servidores dentro da empresa, que, além do gasto excessivo, podem ser hackeados a qualquer momento.

Por outro lado, a tecnologia pode oferecer soluções capazes de colaborarem com o Sistema de Gestão da Qualidade e o atendimento aos requisitos da ISO 9001.

Com investimento constante em inovação, a Docket desenvolveu uma plataforma apta a gestão de documentos, reduzir custos e otimizar processos.

  • Shopping de documentos: mais de 200 tipos de documentos e certidões de todo o Brasil.Geração de relatórios completos que permitem o controle total do fluxo de documentos por meio de um dashboard simples e funcional.
  • Armazenamento online de documentos e certidões:  solução que otimiza o monitoramento, a busca e a análise de documentos e certidões.
  • Software de Inteligência Artificial R.E.A. (Real Estate Analysis) desenvolvido pela Docket, que pré-analisa documentos de forma rápida, segura e eficiente. Nosso laboratório de Inteligência artificial investiu anos no desenvolvimento deste sistema. Mais de 40 mil matrículas foram analisadas só durante a fase de aprendizagem da leitura para a máquina. Hoje, com mais de 100 mil matrículas avaliadas, continuamos com uma segunda checagem, por parte do nosso time de advogados, para garantir 100% de acuracidade. Com apenas um clique, a R.E.A. é capaz de apurar os dados disponibilizados pela plataforma para que as empresas copiem no “ctrl C” “ctrl V” e colem em outro documento.

Desta forma, a Docket consegue acelerar a esteira dos processos de documentações e  movimentar a economia, facilitando processos operacionais.

Conheça mais sobre como você pode otimizar os processos da sua empresa. Conte com a Docket!

Você também pode se interessar por:

ISO 9001: Diferença entre documentos e registros – Docket

ISO 9001: 2015 – Requisito 7.5 e Informação documentada

Buscar

Sobre a Docket

Somos uma startup que realiza a busca, gestão e pré-análise de documentos e certidões. Com tecnologia avançada e inovadora, otimizamos os processos jurídicos de empresas de vários segmentos. Atuamos como facilitadores para nossos clientes, pois reduzimos o custo e o prazo com demandas de documentação de todo o Brasil.

Na mídia

Conheça a Docket a startup que está revolucionando o mundo jurídico

Confira o que os principais meios de comunicação do mundo têm falado sobre a nossa solução e como a tecnologia da Docket tem revolucionado o universo jurídico e as operações que envolvem documentos.

Deixe um comentário:

  1. Camila Anjos disse:

    Parabéns por está incrível postagem… Me ajudou!

    1. Docket Brasil disse:

      Obrigado, Camila.

      Saiba que nós, da Docket, podemos trazer ainda mais eficiência para esteira de processos da sua equipe.
      Abraços!

  2. Alin disse:

    texto muito bem escrito e que tirou varias dúvidas.

    1. Docket Brasil disse:

      Obrigado.
      Saiba que nós, da Docket, podemos trazer ainda mais eficiência para esteira de processos da sua equipe.
      Abraços!

    2. Docket Brasil disse:

      Obrigado, Alin.
      Saiba que nós, da Docket, podemos trazer ainda mais eficiência para esteira de processos da sua equipe.
      Abraços!

  3. João Nhimi Pambo disse:

    Ola eu gostei dos conteúdos que eu fiz a leitura e gostaria que seja fornecida todas atualização que tenha haver com sistema de gestão de qualidade nova versão da Iso 90001-2015

    1. Docket Brasil disse:

      Olá, João! Que bom que gostou dos nossos conteúdos! Agradecemos seu feedback e analisaremos a produção de mais conteúdos sobre a ISO. Um abraço.

Você também pode gostar

Recuperação Judicial Empresarial: o que é e passo a passo para fazer!


A recuperação judicial é a última alternativa para empresas que estão passando por uma crise econômica. Ela dá ao devedor a oportunidade de apresentar um plano de reabilitação sem ser necessário abandonar as operações ou requerer falência.

3 passos para a abertura de filial na junta comercial


Abrir uma filial na junta comercial tem algumas diferenças, caso o estado da matriz não seja o mesmo da filial. Veja o passo a passo completo.

Guia completo: Certidão de Cadeia Sucessória


A Certidão de Cadeia Sucessória traz o levantamento junto ao Cartório de Registro de Imóveis das informações sobre transmissões de propriedade, em um período determinado.

Startup acelerada por:

Google Developers Launchpad
Empresa participante do Scale Endeavor Up

4º Lugar no
LinkedIn Top Startups 2018

Top Startups Linkedin Brasil 2018

Selecionada para o Ranking

100 Startupst to watch 2019

Startup investida por:

Kazek
Canary
ONEVC
Valor Capital
Wayra
Neste site usamos cookies para sua melhor experiência. Para mais informações, leia nossa Política de Cookies.
Cadastrado com sucesso!