Written by 10:23 Agronegócio

Conab aponta queda de 4,2% na safra 2023/24

Conab aponta queda de 4,2% na safra 2023/24

Novo estudo aponta que redução da safra 2023/24 tem relação com a instabilidade climática que atinge o Sul e Centro-Oeste do país. Veja mais!

Os dados preliminares apresentados pelo 3º levantamento para a safra 2023/24, elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), apontaram que o volume total colhido ao final da safra seria de aproximadamente 312,3 milhões de toneladas de grãos. Esse é um volume 2,4% inferior ao obtido na temporada de 2022/2023

Este novo levantamento trouxe mudanças significativas nas expectativas para o fim da safra. Além disso, explicações importantes começaram a ser levantadas por especialistas do setor e podem influenciar o planejamento e comportamento das empresas do setor. Acompanhe a análise a seguir.

Qual é o overview do 4º levantamento da safra 2023/24?

A produção brasileira de grãos deve chegar a 306,4 milhões de toneladas. O 4º Levantamento para a safra 2023/24, divulgado pela Conab, trouxe uma nova redução na estimativa de colheita de grãos no atual ciclo. Em termos de volume, a queda foi de aproximadamente 1,89% em comparação com a estimativa anterior.

Apesar da queda na produção, a área total (em mil hectares) é maior no ciclo 23/24 do que no ciclo anterior. O 4º levantamento indicou uma área de 78.776,3 mil ha. Na safra anterior, essa área foi de 78.545,1 mil ha. Trata-se, portanto, de um crescimento de 0,3%.

Essa expansão da área acompanhada de queda na produção fez com que a produtividade (em kg/ha) tenha caído 4,5%.

Quais são as razões por trás do 4º levantamento da safra 2023/24?

Há alguns elementos que já estão no radar, como a  baixa ocorrência de chuvas e as altas temperaturas registradas nos estados do Centro-Oeste. Por outro lado, no Sul do país, principalmente no Rio Grande do Sul, o problema tem sido o excesso de chuvas.

Com isso, o cenário geral é de condições climáticas instáveis, com chuvas mal distribuídas que provocaram atraso do plantio da safra e ainda persistem. Além disso, tais problemas influenciaram de maneira negativa no potencial produtivo das lavouras. 

O fim da safra ainda está distante e diversas variáveis ainda podem atuar nos próximos meses. Mas, se confirmado, o volume do atual levantamento representa uma queda de 13,5 milhões de toneladas em comparação ao obtido na safra de grãos anterior (2022/23).

Mais detalhes sobre o novo levantamento

A soja deve apresentar uma produção de 155,3 milhões de toneladas, de acordo com o levantamento. O resultado representa uma quebra de 4,2% na expectativa, uma vez que as primeiras projeções indicavam uma colheita de 162 milhões de toneladas.

Por sua vez, a estimativa do arroz é de uma produção de 10,8 milhões de toneladas. Em comparação com a safra 22/23 é 7,2% maior, mas há uma queda esperada de 0,3% em comparação com a estimativa anterior da safra 23/24.

Para o feijão é esperada uma estabilidade na produção, quando se compara com a safra passada, chegando a uma colheita de 3,03 milhões de toneladas. Porém, em comparação com a estimativa anterior, temos uma queda de 1% na produção.

No caso do milho, a produção total está estimada em 117,6 milhões de toneladas, redução de 10,9% em relação à safra anterior.

Já para o algodão é esperado um crescimento do 3º para o 4º levantamento de aproximadamente 1,2%. O desempenho é semelhante tanto para o algodão em caroço, quanto para o algodão em pluma. Apesar da melhora na estimativa, o desempenho em comparação com a safra anterior é 2,3% menor. Por fim, destacamos a colheita do trigo, que já foi encerrada. A produção registrada foi de 8,1 milhões de toneladas. Até o início da fase reprodutiva, as condições climáticas vinham beneficiando a cultura, mas as chuvas excessivas a partir de setembro até a colheita causou perdas.

Visited 1 times, 1 visit(s) today