Política de Cookies

Written by 09:53 Agronegócio

Como foi a safra de grãos 2022/2023?

safra de graos 2022 2023

Safra de grãos 2022/2023 atinge um marco histórico e puxou o PIB brasileiro para cima. Veja o que esperar da safra 2023/2024!

A safra de grãos 2022/2023 atingiu um marco histórico em função das condições econômicas e climáticas. A próxima safra (2023/24) deve atingir ótimos resultados em comparação aos anos anteriores, mas tudo indica que não repetirá o desempenho da safra anterior.

Vamos analisar a seguir os dados disponibilizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para compreender o desempenho da safra de grãos e o que podemos esperar para a próxima temporada.

Qual foi o comportamento da safra de grãos 2022/2023?

O ano de 2023 marcou o setor agrícola brasileiro. A produção da safra de grãos 2022/2023 atingiu a marca histórica de 322,8 milhões de toneladas, alta de 18,4% ou 50,1 milhões de toneladas a mais em comparação com a safra de 2021/22.  Foi o setor agrícola que impulsionou a balança comercial brasileira e gerou desempenho recorde.

Além do volume produzido, também houve recordes em outras variáveis-chave. A safra 2022/23 registrou acréscimo na área plantada, que chegou a 78,5 milhões de hectares. O número foi maior do que o estimado pela Conab no final de 2022, quando considerou 76,8 milhões de hectares. 

Na temporada 2021/22, foram 74,5 milhões de hectares semeados, portanto, houve um acréscimo de aproximadamente 5,4% na área plantada. Com esses números, o desempenho da produtividade da safra passou de 3.656 quilos de grãos por hectare na temporada anterior para 4.111 kg/h na temporada  2022/23. 

As razões por trás do comportamento da safra de grãos 2022/2023

O resultado é reflexo tanto de uma maior área plantada (78,5 milhões de hectares, +5,4%), como também de uma melhor produtividade média registrada (4.111 kg/ha, +12,4%). Mas por trás desse desempenho, há outros elementos que foram cruciais.

Apesar da temporada ter sido marcada por diversos eventos como a guerra entre Rússia e Ucrânia, volatilidade do câmbio, troca de presidência, mudança de El Niño para La Niña e outros acontecimentos globais com impacto direto no campo, ainda assim, a produtividade aumentou.

A La Ninã trouxe mais chuvas para regiões estratégicas para o plantio de soja e milho, como Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Já no Rio Grande do Sul, também houve melhora no desempenho das lavouras, porém limitado devido ao calor na região sul, característico da La Niña.

A temporada 2022/23 também foi marcada pela queda na produção de arroz e feijão em benefício da soja e do milho, dada as melhores condições econômico-financeiras para essas culturas. O cenário externo, apesar de adverso, contribuiu para a demanda pelos produtos agrícolas brasileiros. 

Aprofundando os dados do levantamento da Conab

Olhando mais atentamente para o desempenho das principais culturas produzidas no Brasil, a produção de soja no país representa 47,9% do total produzido e atingiu aproximadamente 154,6 milhões de toneladas, um crescimento de 23,2% em relação à safra de 2021/22. 

O milho também registrou recorde e chegou a aproximadamente a 131,9 milhões de toneladas. Isso representa 40,9% de toda a safra. Com o encerramento das colheitas em agosto de 2023, houve um acréscimo de 18,7 milhões de toneladas sobre a safra passada

Produtos importantes na mesa do brasileiro como o arroz e o feijão seguiram rumos distintos da soja e do milho. No caso dos dois produtos houve redução de área de plantio. O ponto central para essa mudança foi justamente a rentabilidade superior da soja e do milho em comparação com a rentabilidade obtida com o arroz e o feijão.  

A melhora da produtividade do arroz não foi suficiente para compensar a menor área plantada. Isso resultou na queda de 6,9% da produção, chegando a 10 milhões de toneladas. Já para o feijão, o bom desempenho das lavouras possibilitou uma colheita total de 3,04 milhões de toneladas, 1,7% acima do resultado da safra anterior.

O que podemos esperar para 2024?

Em meio a todos esses números, temos que notar que o desempenho da safra 2022/23 foi um recorde histórico dado por condições excepcionalmente favoráveis. Isso significa que há uma grande possibilidade de que esse desempenho não se repita na safra 2023/24.

Os dados preliminares apresentados pela Conab para a safra 2023/24 apontam que o volume total colhido ao final da safra será de aproximadamente 312,3 milhões de toneladas de grãos, volume 2,4% inferior ao obtido na temporada de 2022/2023. 

Esse desempenho esperado é explicado pela baixa ocorrência de chuvas e as altas temperaturas registradas nos estados do Centro-Oeste. Por outro lado, no Sul do país, principalmente no Rio Grande do Sul, o excesso de chuvas é o grande “vilão”.

As condições econômicas devem continuar favoráveis, o que contribuirá para as exportações dos produtos agrícolas brasileiros. Contudo, as condições climáticas serão um desafio.

Apesar do resultado da safra de grãos 2022/2023 ter sido excepcional, é importante destacar que o agronegócio brasileiro está em patamar muito distinto de anos atrás e as grandes safras se repetirão, ano após ano.

Visited 295 times, 4 visit(s) today