Política de Cookies

Written by 16:54 Agronegócio

As diferenças entre a LCA e o CRA

As diferenças entre a LCA e o CRA
As diferenças entre o LCA e o CRA

Tanto a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), quanto o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA), como os próprios nomes já indicam, são pertencentes ao setor do agronegócio. Além disso, os dois títulos são isentos de imposto de renda (até esse momento), como um incentivo do próprio governo e classificados como de renda fixa. 

Mas você sabia que não existem somente semelhanças entre essas duas categorias de investimentos que são do mesmo segmento? Pensando nisso, explicamos um pouco sobre cada título e separamos as principais diferenças entre eles. Confira!

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) 

A Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) é um título que instituições financeiras, tanto públicas, quanto privadas, como bancos, emitem e são comprados por investidores.

As LCAs pertencem atualmente ao grupo de melhores investimentos e vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado financeiro, provavelmente pelo seu leque de benefícios.

Pode-se dizer que o processo consiste em um ciclo, onde uma instituição financeira emite uma série de títulos e os vendem para os investidores interessados. Após um certo tempo, a instituição os recompra e devolve ao investidor o valor da compra somado a uma taxa de juros.

A pessoa que investe em uma Letra de Crédito do Agronegócio, basicamente “empresta” seu dinheiro para o produtor rural, a fim de custear as atividades no ramo do agronegócio, pelo intermediário financeiro, ou seja, o banco.

É necessário que o produtor rural emita uma CPR (Cédula do Produto Rural), que alegue que o mesmo está em débito com a instituição financeira.

Podemos afirmar que, quanto maior for o investimento em uma LCA, melhores serão as condições de prazo e rentabilidade. 

Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) 

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) são títulos emitidos diretamente pelas empresas com o objetivo de captar recursos que, geralmente, são usados para comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos, insumos, máquinas e equipamentos utilizados na produção agropecuária. 

Os investimentos em Certificados de Recebíveis do Agronegócio, diferentemente dos em LCAs, não possuem liquidez diária, ou seja, o investidor não pode resgatar o dinheiro investido em um curto prazo e nem de um dia para o outro. 

Principais diferenças entre a LCA e a CRA

A principal diferença dos títulos está em suas emissões. As LCAs são emitidas somente em instituições bancárias, enquanto as CRAs são emitidas pelas próprias empresas, mas negociadas por meio de securitizadoras, ou seja, entidades anônimas que recebem o processo de financiamento dos clientes e os transformam em títulos para investimentos. 

Além disso, as CRAs não são asseguradas pelo Fundo Garantidor de Crédito, como acontece com as LCAs e, um dos motivos para acabarem gerando um maior rendimento, é possuir um alto índice de risco para o investidor, quando comparado com uma LCA, causando outra grande diferença. 

As Letras de Crédito do Agronegócio não são isentas do Imposto Sobre Operações Financeiras (IoF), como no caso das CRAs, que, normalmente, possuem taxa de administração cobrada pela corretora de valores, mas são isentos de IoF. 

Por último, como as empresas emitem esses títulos para autofinanciamento, elas podem reaver o investimento ao longo dos anos, por isso, elas demoram mais para pagar os investidores que cederam crédito. Isso significa que a liquidez da CRA é menor que a da LCA.

Gostou do nosso artigo? Para mais informações sobre a área de agronegócios e documentos, assine a newsletter da Docket!

Visited 162 times, 1 visit(s) today